Pessoas intolerantes à lactose podem consumir adoçantes?

Adoçantes em pó contêm lactose, mas isso não significa que não podem ser consumidas por pessoas intolerantes a esse carboidrato, já que a quantidade em cada envelope é muito pequena. É preciso testar antes de consumir. Caso tenha alguma reação, consuma a versão líquida, que tem a água como veículo, ao invés da lactose.

Adoçantes são seguros para gestantes?

Adoçantes são seguros
para gestantes?

Sim. Todas as substâncias adoçantes são previamente testadas em estudos científicos em diferentes grupos populacionais, incluindo as gestantes. Todos eles seguem as orientações de um comitê de especialistas da Organização Mundial de Saúde. As substâncias não causam nenhum dano à saúde da mãe ou do bebê.

Crianças podem consumir adoçantes?

Crianças podem consumir
adoçantes?

Sim, crianças podem consumir todas as substâncias, desde que a quantidade esteja de acordo com o IDA (Ingestão Diária Aceitável).

Pessoas com fenilcetonúria podem consumir adoçantes?

Pessoas com fenilcetonúria
podem consumir adoçantes?

Sim, com exceção do aspartame. A sacarina, a sucralose e a stévia podem fazer parte da dieta de portadores de fenilcetonúria com segurança.

Adoçantes causam dor de cabeça?

Adoçantes causam
dor de cabeça?

Não. Estudos científicos já comprovaram que os adoçantes não estão listados como causa de dores de cabeça e enxaqueca.

Hipertensos podem consumir adoçantes?

Hipertensos podem
consumir adoçantes?

Sim, até mesmo consumir substâncias como a sacarina e o ciclamato, que tem sódio em sua composição, mas a quantidade deste nutriente presente nestas substâncias é muito baixa e não agregam quantidades de sódio significativas na dieta.

Consumir adoçante causa cárie?

Consumir adoçante
causa cárie?

Não. As bactérias responsáveis pela formação das cáries não são capazes de metabolizar os adoçantes. Dessa forma, elas não produzem ácidos, substâncias responsáveis pela corrosão dos dentes.

Aspartame causa Mal de Alzheimer?

Não. Os principais órgãos regulatórios de segurança alimentar atestam sua segurança e liberam o consumo do aspartame dentro dos limites diários estabelecidos. A Alzheimer´s Association (organização voluntária internacional que estuda e apoia os portadores da doença) também apresenta um pronunciamento sobre o assunto em seu website (http://www.alz.org/alzheimers_disease_myths_about_alzheimers.asp) reafirmando que não há nenhuma evidência que associe o aspartame com o surgimento da doença.

Qual é a diferença entre stévia "blend" e 100%?

É a composição. O blend é composto por uma mistura de stévia e outras substâncias adoçantes, como sacarina sódica e ciclamato de sódio. Já a versão 100% é uma composição 100% natural.

A sucralose tem outros benefícios, além da redução de calorias?

Sim. Por não ser reconhecida como um nutriente pelo nosso corpo, ela não é metabolizada pelo organismo, o que não contribui com calorias na dieta e também não causa aumento da glicemia (açúcar) no sangue. Além disso, ela não causa cáries, assim como o açúcar de mesa.

Por que existem misturas de substâncias como a sacarina sódica e o ciclamato de sódio?

Algumas combinações resultam em um melhor perfil de sabor doce e este é o caso da sacarina sódica e do ciclamato de sódio.

Adoçantes causam retenção de líquido?

Não. Muitas pessoas acreditam que adoçantes à base de sacarina/ciclamato causam “inchaço”. Isso porque associam o sódio de sua composição à retenção de líquidos. No entanto, a quantidade de sódio desses produtos é praticamente desprezível e seu consumo não é capaz de gerar tal efeito.

Adoçantes favorecem a formação de gases?

Algumas substâncias utilizadas como adoçantes pela indústria de alimentos podem sim favorecer a formação de gases. São conhecidos como polióis e dentre elas podemos destacar o malitol, xilitol, sorbitol, maltitol, eritritol e lactitotol. Há pessoas que são mais sensíveis a essas substâncias podendo apresentar desconforto gastrointestinal caso haja um consumo elevado. Nenhum produto da linha de adoçantes Finn contém essas substâncias, e por isso não causam desconforto gástrico.

Adoçantes naturais são mais saudáveis do que os artificiais?

Não. Todo adoçante passa por uma avaliação toxicológica antes de ser aprovado. A Anvisa só libera a venda desses produtos após testes que confirmem a segurança de utilização em humanos.

Todas as substâncias são metabolizadas pelo organismo?

Não. A sacarina, o acessulfame-K e a sucralose não sofrem transformação química e são eliminadas intactas na urina ou pelas fezes. Já o aspartame é totalmente metabolizado. Ele é quebrado em partículas menores no intestino, dando origem aos aminoácidos, que são absorvidos pelo nosso organismo. A stévia não é metabolizada pelo organismo, mas ela pode sofrer transformações no nosso intestino e ser absorvida para a corrente sanguínea, metabolizada pelo fígado e ser completamente eliminada na urina. O ciclamato tem uma pequena parte absorvida, mas rapidamente excretada na urina e nas fezes.

Vale ressaltar que não há evidências científicas suficientes que comprovem que o metabolismo dessas substâncias seja nocivo ao organismo. Além disso, o consumo seguro é atestado pelos principais órgãos de segurança alimentar, incluindo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).